13 de Setembro de 2014 - 17h16

Mobil Super Racing entre os 12

Átila será 7º e Nonô Figueiredo 12º
Mobil Super Racing entre os 12 Duda Bairros/Vicar

Na oitava etapa do Circuito Nova Schin Stock Car, em Velopark, a direção de prova decidiu pela largada com Safety Car, pelo histórico de acidentes na primeira curva. A decisão caracteriza, também, a largada em fila indiana. Átila Abreu (#51) sai da sétima posição, após ter tido dificuldade em acertar o carro no forte calor que fez na pista neste sábado. Nonô Figueiredo, que larga na 12ª posição mesmo tendo sido o segundo melhor tempo do seu grupo no treino classificatório, com 54s134, não conseguiu avançar para a disputa da pole. Do seu grupo, apenas Ricardo Zonta (#10) seguiu para o Q2, com 54s059.

Átila comentou o resultado após retornar da pista com a temperatura do cockpit ultrapassando os 55°C. "Vamos ver o ritmo do carro, com esse calor vai ser difícil achar o equilíbrio. Vamos buscar pontuar nas duas corridas. A tomada não foi o que estávamos esperando, mas depois do problema que tivemos pela manhã, foi bom. Temos de focar para sair com um bom resultado", avaliou. Sobre a largada com carro de segurança, o piloto acredita que a direção estudou opções e optou pela mais segura. "Talvez não seja o mais adequado, mas tenho certeza que os comissários e a organização encontraram a melhor solução. Sempre ficaram muitos carros na largada", apontou o sorocabano.

Nonô Figueiredo se mostrou confiante para a rodada dupla deste domingo. "Fizemos um bom treino. Velopark tem histórico de ser muito competitivo. Fiquei a menos de um décimo do Q2. O carro andou bem, as mudanças surtiram efeito. Obvio que preferia largar mais na frente, mas tenho boas perspectivas para o domingo", disse. Nonô também analisou a decisão da organização. "Os comissários acertaram 100%. O prejuízo de alguns carros ficarem de fora na primeira curva é muito grande. Largar em fila indiana preserva os carros na pista. Sem esta iniciativa, o Safety Car acabaria entrando do mesmo jeito, após um provável acidente", ponderou o piloto mais experiente do grid atual.

Após o classificatório, cerca de 15 crianças assistidas pela LBV estiveram nos boxes da Mobil Super Racing. "É fantástico receber as crianças aqui. A Stock Car proporciona a eles esses momentos diferentes. Muita criança não tem o que deveria ter. Temos de valorizar as instituições que se preocupam em deixa-las mais próximas de poderem correr atrás de seus sonhos. Acredito que nesta troca de energia, elas acabam me dando bem mais do que dou a elas. Eu, como piloto, me considero privilegiado por ter tido a oportunidade de poder fazer aquilo que eu queria para minha vida", ressaltou Nonô Figueiredo.

 

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x