15 de Novembro de 2014 - 20h56

Batidas marcam fim de semana

Eurofarma-RC sofre com batidas
Batidas marcam fim de semana Fernanda Freixosa/Vicar

Um público estimado em 40 mil pessoas recebeu, pelo nono ano consecutivo, o GP da Bahia, a única prova de rua da temporada 2014. Exatamente por não ter a estrutura de um autódromo, o circuito apresenta inúmeros desafios, entre eles, pista estreita, com poucas possibilidades de ultrapassagem e grandes chances de batidas. "Num circuito de rua qualquer deslize pode ser o fim da prova", comenta o atual campeão Ricardo Maurício.

E foi com inúmeras batidas e três entradas do carro de segurança que se deu a primeira prova da penúltima etapa da maior categoria do automobilismo nacional e marcou o fim de semana da equipe Eurofarma-RC. "Quanto mais à frente se larga, menores são os riscos", comenta o chefe da equipe Rosinei Campos.

A formação do grid de largada foi disputada no treino classificatório que aconteceu na manhã do sábado, 15 de novembro, mesma data da corrida. Por causa da pista estreita, os carros foram divididos em oito grupos com quatro pilotos, cada. Ricardo Maurício largou na sexta bateria e Max Wilson na sétima. Cada competidor teve uma volta de aquecimento e apenas duas voltas lançadas para tentar cravar a pole position. Max Wilson fez o oitavo melhor tempo e Ricardo Maurício o décimo sétimo, todos separados por décimos de segundos. "Se observarmos bem, num mesmo segundo estão mais de 20 pilotos, isso mostra o quanto essa categoria é competitiva", relembra o atual campeão. O pole position foi Allam Khodair.


Depois uma pausa de cinco horas, foi dada a primeira largada no circuito batizado de Ayrton Senna. Logo na primeira volta, após a liberação do carro de segurança, Ricardo Maurício foi acertado por um dos adversários causando um furo no radiador. Na sequência, houve um superaquecimento e o motor entrou em modo de segurança, reduzindo a velocidade. De volta ao Box, a equipe providenciou o conserto para que o piloto ainda tentasse uma recuperação na segunda corrida. "Até consegui um bom desempenho, mas são apenas 20 minutos de prova", conta ele. Ricardo largou em vigésimo sétimo, avançou onze posições e terminou em décimo sexto lugar.

Max Wilson, companheiro de Ricardo Maurício na Eurofarma-RC, largou em oitavo lugar e avançava para ultrapassar Marcos Gomes quando também foi vítima de um toque de Rafa Mattos. O carro 65 rodou na pista e perdeu dez posições, prejudicando, inclusive, a largada para a segunda corrida. Ainda assim, o piloto conquistou três pontos na primeira prova ao chegar em décimo oitavo e quatro pontos na segunda com a décima primeira posição. "O carro estava bom e poderíamos chegar ainda mais perto do líder, mas corrida é assim, depende de uma série de fatores", diz ele.

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x