17 de Setembro de 2015 - 10h19

Criatura supera criador

Na segunda prova da rodada dupla de Campo Grande (MS), dupla polarizou a disputa pela vitória, com Felipe Fraga faturando sua terceira vitória na categoria. No campeonato, dupla da Red Bull Racing mantém-se em segundo e terceiro
Criatura supera criador Fernanda Freixosa/Vicar

Após dias de muita chuva e até frio (!!), Campo Grande (MS) finalmente teve um domingo (13) de sol para a disputa da nona etapa da temporada 2015 do Circuito Schin Stock Car. Nas duas provas realizadas no Autódromo Internacional de Campo Grande, o destaque foi a disputa entre Cacá Bueno e Felipe Fraga na segunda corrida da rodada dupla. No duelo entre criador e criatura, já que o pentacampeão é uma espécie de conselheiro da carreira do jovem tocantinense, melhor para Fraga, que venceu pela primeira vez este ano, alcançando seu terceiro triunfo na categoria. No carro #29 da Red Bull Racing, Daniel Serra fazia boa prova na primeira disputa do dia e estava em terceiro até a última volta, quando reconheceu que cometeu um erro que lhe custou o lugar no pódio, fazendo o cair para a sétima colocação. “Na última volta da primeira corrida eu fiz m... Passei reto no curvão da reta oposta e acabei indo na ‘farofa’, o que me custou o pódio e quatro pontos no campeonato. É uma pena, porque a equipe fez um ótimo trabalho e nas últimas curvas cometi este erro. Na segunda corrida, o carro não teve o mesmo desempenho. É Uma pena para o campeonato, porque estes quatro pontos que me escaparam foi, justamente, a diferença que aumentou para o Marquinhos (Gomes) no campeonato. A situação é bem complicada, mas vamos lutar até o fim”, lembrou Serra, que fechou o fim de semana com um sétimo e um sexto lugar.

Por questão de segurança, a direção de prova optou por iniciar a corrida com o safety car. Com isso, Serrinha e Cacá não enfrentaram a maior dificuldade que esperavam após a classificação: fazer a primeira curva por fora, na sujeira. Com a largada em fila indiana, não teve nenhuma alteração nas primeiras colocações até a quinta volta. Nesta passagem, Serrinha superou Ricardo Maurício para assumir a terceira posição, enquanto o pentacampeão foi ultrapassado por Sergio Jimenez, caindo para sétimo. Não demorou muito para que voltassem às posições de largada na volta seguinte. E assim ficou durante o início da prova.

Um acidente envolvendo Rafa Matos, Denis Navarro e Lucas Foresti provocou a entrada do safety car para tirar os carros acidentados. Neste momento, a posição dos seis primeiros era exatamente a mesma da largada. No reinício, Serrinha superou Ricardinho para assumir a terceira posição, sendo superado na passagem seguinte. Na 17ª volta começaram as paradas de box. Cacá foi um dos primeiros a fazer o pit stop, trocando o pneu traseiro direito. Uma passagem depois, foi a vez de Serrinha fazer sua parada, seguindo a estratégia do companheiro de Red Bull Racing. Ao fim da janela de pit stops, o paulista ocupava a terceira colocação, logo à frente de Thiago Camilo, enquanto o pentacampeão havia caído para o décimo lugar, após dar uma escapada da pista na volta que saiu da parada. Na última passagem, Serrinha cometeu um erro e caiu de terceiro, para o sétimo lugar.

Com o grid invertido entre os dez primeiros, Cacá largou na pole para a segunda prova do dia na capital sul-matro-grossense. Logo na primeira volta, o pentacampeão foi superado por Julio Campos, enquanto Serrinha manteve a quarta posição. Não demorou para Cacá reassumir a ponta, devolvendo a manobra na passagem seguinte. “Aconteceu de tudo na última corrida, mas acho que este resultado se definiu nas quatro voltas finais da primeira bateria. Larguei sabendo que tinha de terminar com oito acionamentos para poder ganhar a segunda e, infelizmente, meu carro começou a sair muito de frente. O (Ricardo) Zonta se aproximou e eu tive que usar mais dois para fugir dele e na última volta ele chegou de novo porque o Daniel (Serra) cometeu um erro e juntou o bolo. Como eu não sabia se ele tinha push, eu usei mais um na reta de chegada para garantir a pole na segunda corrida e fiquei com apenas cinco pushes. Aí tudo se definiu, porque eu sabia que o (Felipe) Fraga tinha oito e que ele seria o meu adversário”, afirmou o pentacampeão.

Na quinta volta, ao tentar ultrapassar Max Wilson, Serrinha sofreu um toque do adversário, suficiente para tirá-lo do traçado ideal, fazendo-o perder posições para Felipe Fraga e Rubens Barrichello. A partir deste incidente, a performance do carro #29 não foi mais o mesmo, com isso o paulista caiu para sétimo lugar.

Na ponta, Cacá passou a sofrer grande pressão do seu pupilo Felipe Fraga. Na disputa entre criador e criatura, melhor para o jovem piloto do Tocantins, que na 13ª volta superou o pentacampeão para não perder mais a liderança. A partir daí, o carioca se preocupou mais em manter a segunda posição diante de Ricardo Maurício. Na última volta, Fraga ainda cometeu um erro, fazendo Cacá reassumir a ponta, mas na reta oposta, Felipe usou o push to pass para ser o primeiro a receber a bandeira quadriculada, garantindo a sua terceira vitória na categoria, a primeira nesta temporada, seguido de Cacá e Ricardinho.

“Na minha disputa com o Fraga, eu fiz de tudo para tentar induzi-lo ao erro por ser jovem ainda e ter aquele ímpeto de garoto, mas ele mostrou que tem aprendido bastante. Quando ele me passou, pensei: ‘O pupilo aprendeu direitinho’, mas na última volta ele errou na curva 1 e pensei: ‘Não aprendeu tão bem assim!’ (risos), mas ele tinha um push e me passou no retão. Ele está de parabéns, porque fez um grande trabalho”, elogiou.

Depois de quatro etapas em 44 dias, a Stock Car faz uma pausa de mais de um mês, quando volta à capital paranaense para a décima etapa de 2015, que será disputada dia 18 de outubro. Até lá, a Red Bull Racing trabalhará bastante para conseguir manter a ponta no campeonato de equipes nesta reta final, e ir em busca do título de pilotos.

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x