3 de Junho de 2016 - 17h11

Temperatura dos pneus e asfalto abrasivo são as armadilhas de Santa Cruz do Sul

Traçado que recebe a quarta etapa da Stock Car é considerado um dos mais técnicos do calendário da categoria
Temperatura dos pneus e asfalto abrasivo são as armadilhas de Santa Cruz do Sul Duda Bairros/Vicar

Depois de uma jornada bastante produtiva em Goiânia – quando Galid Osman venceu uma corrida e Thiago Camilo marcou 21 pontos -, a Ipiranga RCM chegou a Santa Cruz do Sul (RS) para a quarta etapa da Stock Car 2016 com duas certezas: uma, a de que pode continuar sua ascensão na temporada e brigar por novas vitórias; outra, que vai encontrar muitas dificuldades pela frente.

“É uma pista muito técnica e para mim uma das mais difíceis do calendário. Nunca me adaptei completamente a ela. Esse ano se espera muito frio tanto na classificação quanto na corrida (a mínima anunciada é de 5ºC no sábado e 8ºC no domingo), e achar a calibragem para conseguir o aquecimento ideal dos pneus será o grande desafio”, diz Galid, que conquistou seu primeiro pódio na Stock justamente em Santa Cruz, em abril de 2014.

Naquele mesmo ano, em setembro, Thiago Camilo fez a pole position e venceu pela primeira vez no desafiador traçado gaúcho de 3530 metros. “Sempre gostei do circuito e sempre andei bem aqui, mas somente uma vez deu tudo certo. Será uma rodada dupla bastante estratégica, mas vamos ver se conseguimos encaixar as coisas novamente”.

Bia Figueiredo, da Conect Car/CBS, faz coro com os companheiros de Ipiranga Racing. “É uma pista interessante, mas o asfalto é abrasivo e piora a cada ano. Conservar pneus e ser rápido é uma equação complicada”. A rodada dupla acontece no domingo (5), com largada às 13 horas e transmissão ao vivo do SporTV.

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x