19 de Setembro de 2016 - 12h06

Não vencemos a Corrida do Milhão, mas já temos para quem pedir empréstimo: Felipe Fraga

Red Bull Racing colocou os dois pilotos na zona de pontos, mas não foi como a equipe queria: Serrinha em oitavo, Cacá em 18º
Não vencemos a Corrida do Milhão, mas já temos para quem pedir empréstimo: Felipe Fraga Foto: Fernanda Freixosa/Vicar

Cacá Bueno e Daniel Serra contavam com esse prêmio de R$ 1 milhão para acertar as contas, então é melhor ligar para a gerente do banco durante a semana. Ou então pedir um empréstimo para o Felipe Fraga, que venceu a Corrida do Milhão, disputada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Serrinha ficou em oitavo e Cacá bateu na penúltima volta (mesmo assim, apareceu em 18º no resultado final, porque completou mais de 75% da prova).

Os grandes méritos de Felipe Fraga foram: ter superado o pole position Rubens Barrichello já na sexta volta; e ter suportado uma pressão danada do adversário, que obviamente não deu descanso depois de perder a posição (e consequentemente o cheque milionário). Vale lembrar que Felipe também é piloto Red Bull, mesmo competindo pela Cimed Racing.

Para a Red Bull Racing, de Cacá e Serrinha, as coisas não saíram como planejado. Mas isso eles mesmos explicam melhor abaixo.

“A corrida foi tão difícil quanto nos treinos. Em nenhum momento eu consegui me aproximar dos caras da frente. Nessas condições, não dava para fazer muito mais. Pelo menos, saímos com alguns pontos, o que é bom pra reduzir o prejuízo no campeonato. O mais importante é que ainda estamos na briga. Estou ansioso para Londrina, onde a gente foi bem da última vez”, lembrou Serra.

Cacá disse ter ficado feliz pela vitória do pupilo Fraga e elogiou o piloto que irá substituir na Cimed Racing a partir de 2017. “Fiquei muito feliz pela vitória do [Felipe] Fraga, que é um garoto que eu ajudo desde as categorias de base. O talento dele não é mais novidade pra ninguém e hoje ele deu mais uma prova disso. O problema é que ele é nosso adversário e complicou um pouco a minha vida no campeonato (risos)!”, exclamou.

“Na verdade, foi um fim de semana difícil pra gente. Nas primeiras cinco voltas, eu tinha um bom carro. Depois, ficou complicado de guiar. Isso se agravou conforme os pneus foram se desgastando. Tentei ficar na pista para marcar pontos, mas não tem jeito, na Stock Car você precisa andar sempre no limite. Meu carro não tinha mais condições e acabei batendo no final. Agora é trabalhar para Londrina, onde temos um ótimo retrospecto e onde venci em 2012, na última vez em que estivemos lá”, finalizou o pentacmapeão.

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x