8 de Novembro de 2016 - 11h21

Pare para ler: o que disseram os melhores pilotos após a última etapa

Confira as declarações pós-corrida dos três melhores de cada corrida em Goiânia
Pare para ler: o que disseram os melhores pilotos após a última etapa Foto: Duda Bairros/Vicar

Pare para ler: o que disseram os melhores pilotos após a última etapa

Confira as declarações pós-corrida dos três melhores de cada prova em Goiânia

Goiânia recebeu no último domingo (6) as disputas válidas pela décima etapa da temporada 2016 do Campeonato Brasileiro e Sul-americano de Stock Car. As duas corridas válidas pela antepenúltima rodada dupla do ano pegaram fogo no circuito de 3.853 metros, apesar do tempo nublado e chuvoso.

Rubens Barrichello, atual vice-líder e piloto da Full Time, foi o vencedor da primeira corrida, somando 40 pontos no fim de semana. Átila Abreu, da Shell Racing, ganhou a segunda, conquistando sua primeira vitória no ano e a primeira pelo time. Confira abaixo o que disseram os três melhores pilotos de cada prova, após o final delas.

CORRIDA 1 - TOP-3

RUBENS BARRICHELLO
“Agora é tudo um cálculo. Primeiro e quinto é um ótimo resultado para o fim de semana. Na primeira corrida ficamos ali, eu e o Fraga ‘trocando’ botões de ultrapassagem - quando eu usava, eu não podia errar, senão ele usaria na volta seguinte para me passar, e quando ele usava, eu ficava na minha. Teve um momento em que o Mau (Maurício Ferreira, chefe da Medley-Full Time) entrou no rádio me disse para ganhar a corrida economizando combustível.Fácil, né?”

FELIPE FRAGA
“Foi uma grande corrida aqui em Goiânia. O carro estava muito rápido e assim como em várias provas do ano eu tive um duelo com o Barrichello. Nas últimas três etapas eu tinha levado a melhor e vencido a prova, mas hoje foi a vez dele. Estou satisfeito de me manter com uma larga vantagem na liderança.”

VALDENO BRITO
“Era para ser outro pódio, pois estava na frente do Diego Nunes, que chegou em terceiro. A visibilidade estava ruim para todo mundo, mas consegui me virar bem e não tive dificuldades neste sentido. A gente arriscou fazer as duas corridas sem precisar parar para abastecer, mas não deu. Fiquei chateado por isso, mas contente pelo pódio e por seguir na briga.”

CORRIDA 2 - TOP-3

ÁTILA ABREU
“Muito feliz de voltar a vencer e aqui. Eu que já fiz duas poles e nunca tinha levado a vitória, consegui vencer de uma forma meio dramática, mas foi muito disputado. A gente não tinha muita performance no seco, quando choveu hoje aquela luz no fim do túnel se abriu e eu sabia que o nosso carro podia ser um bom carro na chuva. E aconteceu isso na primeira corrida, consegui fugir dos acidentes, no final eu até tinha carro pra chegar no Serrinha e brigar ali pelo sétimo, oitavo lugar, mas eu já tava me beneficiando da inversão do grid, então comecei a poupar combustível desde o fim da primeira corrida. Na segunda, a gente sabia que faltava quatro ou cinco litros pra terminar e então precisava ter um safety car no meio da corrida e não teve. Mas na largada o Foresti acabou passando reto e me aproveitei dessa situação e aí na frente consegue administrar um pouco mais. Fui administrando do segundo pra o terceiro, mas as últimas voltas começaram a ficar dramáticas e eu tentei diminuir um pouco o meu ritmo. Mas quando eu vi o Girolami ficando na última volta sem combustível, ali o coração bateu mais forte e na abertura da última volta meu painel já dizia que eu não tinha mais combustível, mas ainda bem que eu tinha diferença pro Camilo. Eu vinha poupando e pedindo pra todos os deuses pra hoje não acontecer e deu certo. 'Tô' muito feliz, um ano muito difícil, minha primeira vitória com a Shell Racing e espero que muitas. Agradecer toda equipe que nunca desistiu do nosso trabalho. É difícil quando você cria uma expectativa e não consegue atingir ela o ano inteiro, mas eles são muito bons e a gente conseguiu fazer acontecer. E agradecer os patrocinadores que também nunca deixaram de acreditar e de apoiar.”

THIAGO CAMILO
“Na verdade quem está de fora enxerga a corrida de uma maneira um pouco diferente. Os carros da minha frente todos tinham botão de ultrapassagem e estavam trocando muitas posições entre si, porém não conseguindo avançar. Como eu era o último da fila com uma diferença boa pra quem estava atrás de mim, resolvi administrar um pouco e quando acabasse os botões dos carros da frente, aí partia pra cima. Isso foi a cinco voltas do final, tanto que eu vim de oitavo pra segundo. Eu tinha dois botões ainda, consegui fazer três ultrapassagens no primeiro e passar mais dois carros no segundo. Mas foi uma pena, porque hoje - o que não é comum acontecer - a gente errou um pouquinho a estratégia. O Átila terminou as duas corridas sem abastecer, o que acabou dando a vitoria à ele. Na primeira bateria a gente estava brigando pelo terceiro, quarto lugar, junto com o Valdeno. Se a gente tivesse mantido a posição, mesmo que perdendo alguma coisa e conseguido administrar o combustível daria pra vencer a segunda prova até com um pouco de tranquilidade, pela posição que eu tinha na pista. Mas a gente decidiu por parar, em m comum acordo, reabastecer e aí acabou acontecendo tudo isso. Mesmo assim faltou um pouquinho (risos), eu achei que ia dar, eu vi ele perdendo rendimento ali e pensei "eu já vi esse filme antes", mas ele 'tava' economizando também, na última reta acelerou e conseguiu manter a vantagem. Mas tá bom, levando em conta o ano que a gente teve, venho de uma vitória em Curitiba, largando dos boxes e aqui um 13o na primeira e um 2o na segunda foram bons pro campeonato, acho que a gente conseguiu dar uma avançada. Agora é continuar esse trabalho que parece que vem encaixando, vamos pra uma pista totalmente nova, tentar fazer mais um bom trabalho e buscar mais um pódio e mais uma vitória.”

DIEGO NUNES
“Foi uma briga, foi uma guerra de cálculos acredito ali no box. Queria ressaltar o trabalho dos meus engenheiros, do Gustavo e principalmente do Bassani, que deve ter calculado direitinho (o consumo), porque minha gasolina acabou dentro do box, e então pro campeonato foi bom. Eu devo estar em quinto, voltei pra onde a gente deveria estar desde o começo do ano. Eu economizei muito na primeira corrida, acho que os seis, oito primeiros fizeram a mesma coisa e consegui fazer a primeira corrida com 60 e poucos litros, 61 litros eu acredito. Então estamos de parabéns e deu tudo certo graças a Deus, depois de um problema lá em Curitiba a gente voltar perto da liderança do campeonato.”

Venda de ticket

Compre já seu ingresso
para a próxima etapa!

Clique aqui e
garanta o seu.
x