Últimas notícias

Vencedores do Milhão: Valdeno Brito, 2008

Primeiro vencedor da Corrida do Milhão, Valdeno Brito relembra detalhes da conquista da primeira edição da prova milionária

A Corrida do Milhão foi a sétima etapa da temporada 2008 da Stock Car. Disputada no finado autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, a prova pagava como prêmio um milhão de dólares – foi a única vez que a premiação do evento aconteceu em moeda estrangeira.

A pole position foi do piloto da casa, Cacá Bueno. Mas quem comemorou mesmo foi Valdeno Brito, e de forma dupla: além de ganhar o milhão de dólares, o paraibano vencia pela primeira vez na Stock Car.

“Aquela corrida foi muito especial e importante, porque apesar de na época eu já ter 12 ou 13 pódios, eu ainda não havia vencido na Stock Car”, disse Valdeno, que relembra a atmosfera em torno da corrida, uma novidade no automobilismo brasileiro. “Houve toda uma preparação, para uma corrida que era inédita, que pagava um milhão de dólares, com uma divulgação fora do comum. Deus me deu a primeira vitória justamente na primeira Corrida do Milhão. E foi a única que pagou um milhão de dólares. É marcante até hoje e vai ser para sempre”, disse.

A cotação do dólar no final de agosto de 2008 era de R$ 1,633. Sendo assim, Valdeno foi premiado com R$ 1.633.000,00. Claro que a equipe, parte importante na conquista, também teve sua parte. Até mesmo os outros dois pilotos da equipe Mattheis – Marcos Gomes e Ricardo Maurício.

“Dividimos o dinheiro entre mim e a equipe e até mesmo com os outros pilotos, depois de chegarmos a um acordo. Um milhão de dólares... Qualquer parte era muito boa”.

Valdeno usou o dinheiro para terminar de construir sua casa em Londrina (PR). “Eu estava construindo minha casa em Londrina e esse dinheiro veio em uma hora muito boa. Foi uma bela injeção de dinheiro para eu terminar a casa mais rápido. Veio na hora certa”, lembrou.

Brito, hoje na Eisenbahn Racing Team, não vem tendo boa temporada: são apenas três pontos conquistados em nove corridas até agora e a 27ª posição na tabela. Entretanto, o paraibano busca a reação e mantém o otimismo.

“A Corrida do Milhão, assim como todas as outras da Stock Car, são imprevisíveis. Todo mundo anda junto o tempo todo. Não venho em um bom ano, mas a gente sempre tem a esperança de virar o jogo na etapa seguinte. Resolvemos alguns problemas no nosso carro e vou otimista sim, como sempre, para fazer o meu melhor e confiando que a equipe vai dar o seu melhor também para que o carro fique bem acertado e consigamos voltas boas na classificação e também uma boa corrida. Estou me preparando bastante”, concluiu.